FUNCIONÁRIOS DA POLITEC PEDEM APOIO DA AL

Na manhã desta quarta-feira (29), o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Jorge Amanajás (PSDB), reuniu-se com os funcionários da Polícia Técnico-Científica do Estado. A visita foi para discutir sobre a proposta do Governo em relação ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários da Politec.

Hoje, a Politec possui 422 servidores. Segundo informações dos trabalhadores, o GEA quer acabar com o plantão realizado por cerca de 90% desses funcionários do órgão. A razão da extinção seria por causa do aumento no salário dos 70 peritos, que é de R$ 4.500 a mais na remuneração. O valor total seria de 300 mil reais.
“Nós não somos contra o aumento no salário desses profissionais, desde que não use o plantão como moeda de troca”, afirmou Irimar Brito, responsável pela comunicação administrativa da Politec.

A preocupação maior dos funcionários é com a população e o funcionamento da instituição, pois os serviços depois das seis horas da tarde serão paralisados por falta de profissionais no órgão neste horário.

Os plantões na Polícia Técnico-Científica são realizados há 23 anos. Durante esse período não houve concursos públicos para o quadro administrativo, somente para peritos e médicos legistas nas localidades de Oiapoque e Laranjal do Jari.

O projeto de lei que determina o fim dos plantões ainda não chegou ao Legislativo, mas o presidente da AL, Jorge Amanajás, se comprometeu em ajudar os servidores do órgão. O deputado disse que vai antecipar uma conversa com o Governador Waldez Góes, para buscar informações e saber por que será realizado esse corte.

“Mais uma vez somos procurados por uma categoria, neste caso, pelos servidores da Polícia Técnico-Científica. O projeto está na fase de discussão e ainda não chegou à Assembléia Legislativa. Segundo os servidores, o projeto vem determinando o fim dos plantões. Portanto, vamos antecipar uma conversa com o governador e com o secretário de administração do Estado, para que possamos realizar uma avaliação antecipada sobre essa questão e fazer a intermediação necessária entre o interesse do servidor e o interesse da administração pública” ressaltou o presidente Jorge Amanajás.


Assessora: Alinne Amanajás