Presidente da Amprev será convocado
pela AL para esclarecer rombo financeiro

Emanoel Reis

O plenário da Assembléia Legislativa do Amapá aprovou, por maioria simples, requerimento número 0378/2009, de autoria do deputado estadual Camilo Capiberibe (PSB), solicitando a convocação do diretor-presidente da Amapá Previdência (Amprev), Arthur Sotão, para que compareça ao legislativo estadual para esclarecer o porquê do governo Waldez Góes não está repassando à instituição os descontos feitos na folha dos servidores públicos. Segundo denúncias colhidas pelo pessebista, em apenas cinco meses o rombo financeiro se aproxima de R$ 100 milhões.

"Recebi a informação de que há cinco meses o governo recolhe a contribuição de todo o funcionalismo e não está repassando à Amprev", assinalou o parlamentar. "Se isso realmente vem acontecendo", prossegue ele, "trata-se de um ato criminoso perpetrado pelo governo Waldez Góes contra milhares de pessoas que daqui a uma década e meia estarão se aposentando e não poderão receber, de volta, o dinheiro que foi descontado de seus salários ao longo desses anos". Para Capiberibe, o caso requer uma ação imediata de todos os parlamentares "verdadeiramente comprometidos com o bem-estar da população amapaense".

A aprovação do requerimento por maioria simples revela a predisposição dos deputados, governistas e oposicionistas, em promover amplo debate sobre a previdência dos servidores estaduais. Mesmo os que se mostraram reticentes em seus pronunciamentos, lembrando que a Amprev foi criado durante o governo João Alberto Capiberibe, acabaram concordando com os argumentos defendidos por Camilo Capiberibe e aprovaram a proposição.

A questão agora, segundo o próprio pessebista, é convocar o presidente da Amprev em data a ser decidida com as demais lideranças e definir o comparecimento dele no plenário da Assembleia Legislativa do Amapá. "Essas questões têm que ser esclarecidas; afinal, é a aposentaria do servidor que está sendo colocada em risco. É essa nossa preocupação", salientou Camilo Capiberibe.