Ministro do Trabalho propõe ampliar seguro-desemprego para 103,7 mil pessoas

24/03/2009 - 12:27 - Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, propôs ao Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), a ampliação, em duas parcelas, do seguro-desemprego para trabalhadores dos setores mais afetados pela crise econômica e que perderam o emprego em dezembro. O benefício, que pode chegar ao montante de R$ 126 milhões, ainda precisa ser aprovado pelo Codefat no próximo dia 30.

O cálculo feito para determinar que trabalhadores podem ser beneficiados levou em conta os setores que mais demitiram nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro. Com a metodologia, o ministério identificou 103,7 mil trabalhadores.

Entre os Estados mais afetados, e que também vão receber o maior número de benefícios, estão São Paulo e Minas Gerais. Além deles, vão ser beneficiados trabalhadores do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás, Bahia, Sergipe, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Maranhão, Amapá e Amazonas.

Os trabalhadores que têm direito ao benefício precisam calcular o tempo de serviço para saber quantas parcelas vão receber de seguro-desemprego. Quem trabalhou de seis a 11 meses vai ter direito às três parcelas legais, mais duas adicionais, de 12 a 23 meses vai ser beneficiado com quatro, mais duas adicionais, e, de 24 a 36 meses, receberá cinco parcelas e mais duas extras.

De acordo com Lupi, o montante de R$ 126 milhões é o teto para o pagamento do benefício. Isso porque nem todos os trabalhadores vão pegar as duas parcelas. Caso sejam empregados, o benefício é cortado. Além disso, o valor da parcela varia de R$ 465 ao máximo de R$ 870, dependendo do valor do salário recebido.

Veja abaixo quem terá direito à ampliação do benefício:

São Paulo: indústria metalúrgica (8.263 trabalhadores), indústria mecânica (8.473), indústria do material de transporte (7.420), indústria da borracha, couros, fumo, peles, similares, indústrias diversas (4.735), indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria (7.126), indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos (8.295)

Minas Gerais: extrativa mineral (1274), indústria metalúrgica (4061), indústria mecânica (1524), indústria do material elétrico e de comunicações (925), indústria do material de transporte (2045), indústria da borracha, fumo, couros, peles, similares e indústrias diversas (1067), indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria (2311), indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos (4201), indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico (11069) e comércio e administração de imóveis, valores mobiliários e serviço técnico (12935).

Rio Grande do Sul: indústria do material elétrico e de comunicações (414), indústria do material de transporte (817), indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria (1.522)

Rio de Janeiro: indústria do papel, papelão, editorial e gráfica (485 trabalhadores)

Paraná: indústria de material de transporte (1.634), indústria de papel, papelão, editorial e gráfica (548), indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria (1.145)

Espírito Santo: comércio varejista (4.108 trabalhadores)

Santa Catarina: indústria metalúrgica (854), indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria (1.008), comércio Atacadista (1.293)

Amazonas: indústria metalúrgica (263 trabalhadores), indústria mecânica (804), indústria do papel, papelão, editorial e gráfica (97), indústria da borracha, fumo, couros, peles, similares e indústrias diversas (88), indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico (284) e transportes e comunicações (863).

Paraíba: indústria de calçados (489)

Goiás: indústria do material de transporte (381)

Maranhão: transportes e comunicações (337)

Bahia: extrativismo mineral (222)

Amapá: transportes e comunicações (79), agricultura, silvicultura, criação de animais e extrativismo vegetal (32).

Ceará: indústria mecânica (79)

Sergipe: indústria do papel, papelão, editorial e gráfica (69)

Pernambuco: indústria da borracha, fumo, couros, peles, similares e indústrias diversas (68)