Terceiro político em Macapá é cassado por compra de votos

Dione Amaral

A juíza Sueli Pini iniciou a gestão com um pedido de cassação do vereador Grilo (PV), acusado de oferecer vantagem pessoal através do plano Globo Saúde. É o terceiro político que concorreu as Eleições 2008 e teve seu diploma cassado por juízes eleitorais de primeiro grau de Macapá. A decisão foi publicada na manhã desta terça-feira, 10.

Outros processos estão pendentes de decisão na 10ª Zona Eleitoral. O juiz Marconi Pimenta ouviu as testemunhas de defesa e acusação e caberá a juíza Sueli Pini proferir a sentença. Os maiores interessados nos processos são os suplentes dos vereadores, e candidatos vencidos na eleição para prefeito, que aguardam a decisão para assumir o lugar ou a realização de novas eleições.

A representação contra Grilo foi interposta pelos então candidatos Valter Vieira e Diego Duarte. Na sentença, a juíza cassou o diploma do vereador e aplicou multa no valor de 35 mil Ufir.

O prefeito Roberto Góes e o vereador Péricles, cassados pelo juiz Marconi Pimenta, têm em seu favor liminares que lhes garantem a permanência no cargo. O mérito será julgado pela Corte do TRE em sessões plenárias