PENSAR NÃO OFENDE

Claro que pensar não ofende. Muito pelo contrário, aprimora o espírito e a atitude diante da vida. Melhor ainda quando transformamos o que pensamos em ações que ajudam os outros a pensar e, da mesma forma, tomar atitudes.

Lula, que vive falando um monte de bobagens para manter vivo o seu estilo populista que ajuda ganhar voto, mas não faz o país melhor, desta vez acertou no alvo quando cobrou que os empresários vendessem seu patrimônio amealhado no verão das cigarras,

Por incrível que pareça ele e Bush pensaram juntos, uma semana depois que levantamos essa bola aqui. Sem a pretensão que ambos ouvissem esse pobre escriba. E convenhamos não se trata de nenhuma descoberta inusitada. Muita gente deve ter pensado assim, com justa razão.

Afinal sabemos que as pessoas que se arriscam nos negócios sabem que podem perder e ganhar e que a arte está em saber dosar lucros e perdas. Daí ser inaceitável que nós cidadãos, que nos viramos para tirar o nosso da reta, fazendo das tripas coração para sobreviver nessa selva de irresponsabilidade pública, tenhamos que pagar essa conta.

O óbvio é que vendam seus jatinhos e suas fazendolas compradas no momento que o mercado estava “aquecido”, para usar um jargão do meio. O fato de terem um número aloprado de empregados se explica pela efervescência do mercado, quando a economia não fazia marola e o empresariado viajava em céu de brigadeiro.

Dar dinheiro - o nosso suado dinheirinho e renunciar imposto, como ameaça WG, é algo deplorável. A promessa de Waldez se torna mais grave pelo fato de continuarmos sendo uma economia que depende do contracheque do funcionário público o que nos torna invulneráveis a qualquer crise. Empresário é um animalzinho faminto e voraz quando se trata de dinheiro, principalmente fácil, porisso vive sempre querendo mais. O Chororó dessa turma não pode ser confundido com os dos bebês quando tem fome.

SALTO NO ESCURO

O candidato Roberto Góes sabe que só a diplomação não lhe garante o cargo de Prefeito como querem passar a opinião pública seus defensores. Há inúmeras batalhas a serem vencidas até que consolide a sua “vitória”.

A aparente calmaria não reflete a guerra que está em curso ou que ainda virá - na pior das hipóteses. Os obscurantistas que acham que a lei só existe no papel e que Sarney é um elixir que serve para tudo e para todos, principalmente contra qualquer medida judicial espalham, irresponsavelmente, que a agonia acabou no último dia 15 de dezembro.

Não é verdade. Tanto que o corretíssimo Marconi Pimenta aproveitou-se da solenidade de diplomação para notificar todos os que têm conta a prestar com a JUSTIÇA ELEITORAL. Uma manifestação inequívoca que aquela autoridade, independente de tudo, está disposta cumprir seu papel. Foi constrangedor, mas necessário. Lembrou aqueles filmes de Al Capone.

Roberto Góes - segundo se fala, tem mais nove processos cabeludos para responder. A maioria incursos no 41-A, o mais grave de todos os artigos da lei eleitoral. Vai ser difícil escapar, mesmo aqui. No TSE nem pensar. A única dificuldade é fazê-lo andar, do que se valem os políticos espertos, muitas vezes condenados na instancia inicial, que passam o mandato inteiro cometendo novos delitos até que a justiça, quase sempre extemporânea os pegue pra valer.

Depois a questão cruciante. O candidato do PDT deixará para trás um mandato tranqüilo de deputado Estadual, onde usufrui as benesses dedicadas aos cardeais da casa, o grupo do alto clero, para tomar posse no primeiro dia de janeiro, tendo que renunciar esse mandato. A lei, até onde sabemos, não lhe dá qualquer garantia jurídica de retomá-lo caso venha ser condenado, conforme se prevê.

Roberto vive o dilema de tomar uma decisão que pode mudar de forma radical a sua vida e o panorama político do Estado. Tem duas pombas, uma na mão e outra voando, com o diz o dito popular. E que pombas! Que permite deduzir que a calmaria é aparente e fictícia. Tem gente sem dormir só de pensar no dia primeiro de janeiro que se aproxima célere que dá um friozinho na barriga.

TUCUJU NOVAMENTE

Esta questão em torno da CONFRARIA TUCUJU vira e mexe volta à cena sem a sua devida tradução, que leva as pessoas a acharem que antes de Telma Duarte, a atual presidente, aquela instituição era uma praça de guerra.

Falta a essa gente o conhecimento de causa, ou seja: dos princípios, razões e seriedade que levaram a fundação daquela instituição. Começando pela massificação do nome tucuju, denominação dos primeiros habitantes índios dessas terras, segundo um brilhante trabalho do Professor historiador Estácio Vidal Picanço ao alcance de qualquer pessoa.

A confraria não pode ser confundida com essas instituições caça níqueis que poluem o nosso universo, mantidas pelo governo e políticos, sem qualquer compromisso com o passado e a história desse Estado. A Confraria é muito maior que isso.

E qualquer crítica que se faça ao Prof. Montoril, um dos seus fundadores, que parecem corretas, não levam em conta sua preocupação pelo destino de seu ideário. Seu modo de lidar com o problema à parte, concordamos integralmente quando exige a prestação de conta da entidade, a verdadeira razão das “brigas” que , segundo alguns, prejudicavam a vida da confraria. Vale para qualquer Presidente, figuras factuais e incidentais da entidade.

Vou repetir para que não fique nenhuma dúvida: a Confraria não pode ser confundida com as escolas de samba, blocos carnavalescos, quadrilhas juninas e clubes de futebol que não prestam conta dos recursos oficiais. Nem para o Governo, nem para seus associados. Nem que seus presidentes se perpetuem no poder usando meios fora do alcance dos demais confrades, porque a praxe que vigora é do toma lá dá cá, do dá ou desce.

A confraria não é uma “lavanderia” e nem deve se prestar a ser usada como “barriga de aluguel” como acontece com a Banda, outra instituição do povo do Amapá. Outra coisa que precisa ser dita, é que a Confrria precisa cumprir seu papel na sua inteireza. Não pode ser transformada apenas num clube do guri e do sarau.

Quero dizer que este comentário não objetiva desmerecer Telma, Zezinho, Márcia e equipe cujo trabalho se deve elogiar. Falta essa parte reclamada. O mais é gente que gosta de uma futrica, não contribui, trafica importância, faz lobby de interesses e fala por falar.

PODE FAZER SENTIDO

São cada vez mais insistentes os rumores que dão conta de uma manobra nos subterrâneos do poder, face às dificuldades de Roberto Góes emplacar a Prefeitura de Macapá, de tornar o candidato Lucas Barreto (PDT) o beneficiário de sua cassação.

Diga-se a bem da verdade que esta história rola desde o final do turno em que por menos de uma cabeça o ex-Presidente da AL Lucas Barreto perdeu a indicação para o segundo turno para o candidato governista. Trata-se de um enredo embrincado, mas que faz sentido,

Peca por um detalhe nada desprezível. A crença que LUCAS BARRETO ganhar fácil de Camilo Capiberibe ( PSB) numa eventual disputa, segundo a avaliação de seus simpatizantes. Acho que não é bem assim. Num raciocínio rápido e despretensioso o candidato do PSB continuaria com os seus quase 49% de preferência, ou perto disso, percentual que resistiu heroicamente a uma campanha de compra de votos, ameaças e perseguições políticas sem precedente na historia deste Estado.

Isso o colocaria mais próximo da vitória que o candidato do PTB que teria um montão de votos baseado em pesquisas que longe estão de serem balizadoras imparciais do desejo da população.

Só o desejo de derrotar o PSB parece não ser o suficiente para juntar e harmonizar as forças governistas. Lucas Barreto é um político que tem o seu próprio projeto de poder, onde pouca gente da atual base de apoio do governo tem lugar.

E mesmo porque em tese eleger Lucas significaria o sacrifício de vários projetos. O primeiro seria o de Roberto Goés, em seguida Jorge Amanajas, depois WG e assim por diante, num efeito dominó que desarrumaria totalmente o quadro montado para ficar no poder para sempre, na verdade devaneio da direitona, no qual não se inseria Lucas, que alimenta o claro objetivo de ser governador em 2010, como todo mundo sabe.

Para conseguir reconstruir esse o projeto de poder em vigor exige muita engenharia e espírito de renúncia que essa turma não tem. E sem juntar esse povo todo só o discurso de “bomocismo” que passa na TV e o apoio de seus amigos empresários, não vão ser suficientes.

Definitivamente não quero crer e a sociedade não aceita que o TRE faça parte disso e o tenha como candidato, como dizem por aí seus apoiadores, os velhos e os novos, que já começam a chegar. O resto mais, tudo faz sentido.

POUCAS & BOAS

É preocupante, segundo um aliado, a situação de Papaleo Paes cujo projeto de retornar ao Senado da República não é nada confortável+++ Sua fidelidade ao comando de Sarney o faz aceitar, sem estrebuchar, sua preferência por Gilvan Borges e Waldez Goés, e sua própria morte política. Como uma vaga é considerada como certa do ex-Sendor Capiberibe, 2010 poderá ficar marcado como o final de carreira de uma promessa política que não vingou+++ O problema de Papaléo é que sua assessoria é horrorosa além dele não ter espírito de liderança. Opta viver o tempo todo à reboque+++ O show de Humberto poderia ter sido o show do ano não fosse a falha da organização. Principalmente por venderem mais lugares que a casa comportava+++ Aqueles copos descartáveis foi um horror. No mais, Humberto e Eudes Fraga deram um recado pra lá de redondo+++ Com os merecidos votos pelo esforço à favor, agradeço ao Bala pela informação em primeira mão da aprovação do projeto da Zona Franca Verde+++ Fico mais feliz por ele que pelo Estado, para ser sincero+++ Tenho medo de duas coisas:primeiro de não dar em nada e tudo ficar no papel e outro de virar uma zona no pior sentido do termo, se contribuir para sacrificar mais ainda nosso meio ambiente+++ Como sabemos as mineradoras já foram a nossa redenção econômica+++ O jornal Leia Agora do deputado Edinho Duarte publicou, com riqueza de detalhes - acho até que de propósito pra mostrar por quanto anda a harmonia dos poderes, a festa de confraternização do governo com os poderes do Estado+++ Tem cenas dignas do ditado que diz que uma imagem vale mais que mil palavras+++ Faltou decoro. Algo preocupante ou deprimente?+++ Imagino que Lula quando manda o Ministro Temporão da Saúde se entender com o seu partido, o PMDB e com seus dirigentes a quem deve desculpa pelo que falou sobre a roubalheira da FUNASA, fica entendido que faz o mesmo quando precisa+++ Isso prova que Lula administra dois brasis: um que é um sucesso em matéria de economia, outro que, ao contrário, desce a ladeira da decência e da moralidade+++ Revelador o artigo de Edson Vidigal, maranhense, ex-Ministro Presidente do STJ, colocando às escancaras os métodos de Sarney contra seus adversários políticos, citando inclusive o caso Capiberibe como exemplo+++ Uma bela e didática peça. Mas nada que não conheçamos. São quase vinte anos de convivência, tempo suficiente para conhecer seus métodos truculentos de coronel de barranco+++ Tudo bem que é bom asfaltar. Melhor ainda se os bairros periféricos. Mas fazê-lo as 12 e 18 horas do dia, na zona comercial, em pleno pique do horário de funcionamento, só coisa de débil mental+++ Tudo para obedecer a uma cartilha política atrasada. Coisa de quem não tem o que fazer+++ A chuva chegou e com ela o cheiro gostoso da terra molhada e da floração das mangueiras anunciando o Natal+++ As chuvas revelaram também a estupidez de nossos eleitores. As baixadas alagadas, o asfalto novo sem meio fio e drenagem com água até o meio da canela e em breve a dengue+++ Mesmo com atraso quero registrar o belíssimo show do conjunto OS COMETAS na Confraria Tucuju. O Show só não foi completo - pra mim particularmente, por não constar do repertório apresentado o sucesso Negro Gato+++ Bom ver aquela turma toda que embalou nossas tertúlias e bailes do Aero Clube, Piscina Territorial, Saci, Trem D.C e E.C. Macapá+++ Aos meus amigos sinceros, que não são poucos, graças a Deus, desejo votos de boas festas e feliz natal. Nos encontraremos antes da dobra do ano, pela vontade do divino.